Caicó

   Uma viagem pela memória seridoense

 
Praça da Liberdade ou Praça Senador Dinarte Mariz

 Por Radilson Costa de Araújo

      

Coreto e Estátua de Dinarte                                              Imagem: Xico Brito

     

A Praça da Liberdade ou Praça Senador Dinarte Mariz localiza-se na parte antiga de Caicó, entre a igreja do Rosário e a matriz de Sant’Ana. Essa praça já passou por diversas mudanças, inclusive de nome. 

A história dessa praça começou quando o coronel da Guarda Nacional, o comandante Manuel Batista Pereira, construiu o Mercado Público naquele local e inaugurou-o no primeiro dia de janeiro de 1870. Na época o lugar passou a ser conhecido como Praça do Mercado, centro comercial da cidade. Aos sábados havia a feira, um verdadeiro encontro sócio-econômico de todas as camadas da sociedade caicoense. Esse local também foi palco da popular Revolta do Quebra-quilos que invadiu os estabelecimentos comerciais de então  apreendendo pesos e medidas do sistema de mensuração imposto pela monarquia.

As feiras perduraram ali até ser construído o atual Mercado Público, inaugurado no dia 23 de fevereiro de 1918.

 Nesse mesmo ano, a antiga estrutura do Mercado foi demolida, e em seu lugar, foi construída uma praça com um coreto de madeira no centro. O coreto tinha forma hexagonal em cujo interior ficavam alguns bancos de madeira, possivelmente para acomodar os integrantes da banda de música municipal.

À nova praça foi dado o nome de Praça da Liberdade. Mas que liberdade? A liberdade dos escravos. A antiga Praça do Mercado tinha sido palco do movimento abolicionista em Caicó. Ali seus integrantes se reuniam e concediam cartas de alforria, libertando os cativos. A atuação desse movimento foi intensa de modo que quando foi publicada a Lei Áurea não existia nenhum cativo no município.

   As mudanças na estrutura física da praça continuaram. O coreto de madeira foi substituído por um de alvenaria em 1931, permanecendo intocado até 1943, quando foi substituído pelo que existe até hoje.

O nome Praça da Liberdade permaneceu assim até o final da década de 1990 quando foi modificado para o atual: Praça Senador Dinarte Mariz. Esse político seridoense era natural de Serra Negra do Norte, nascido no dia 03 de agosto de 1903. Cursou somente as primeiras séries primárias. Sua carreira empresarial começou no comércio na cidade de Caicó. Participou ativamente da organização da Revolução de 1930 no RN. Devido seu apoio a Getúlio Vargas foi prefeito nomeado de Caicó de 1930 a 1932. No entanto, não custou a voltar-se contra Vargas apioando a Revolução Constitucionalista de 1932 em São Paulo, sendo, por esta razão, preso três vezes na Casa de Detenção do Rio de Janeiro. Libertado, voltou para o Rio Grande do Norte e fundou, juntamente com José Augusto de Medeiros, o Partido Popular, iniciando uma acirrada campanha contra Vargas.

Posicionou-se energicamente contra a Insurreição Comunista de 1935, sendo um dos organizadores dos combates contra os insurretos na Serra do Doutor, próxima à Santa Cruz.

Em 1945, com a redemocratização do país, tentou se eleger senador pela UDN (União Democrática Nacional), mas, perdeu a eleição. Foi eleito prefeito de Caicó em 1950. No ano de 1954 elegeu-se Senador da República. Em 1955 elegeu-se Governador do Estado do RN. Em 1965, tentou a reeleição, mas perdeu para o também seridoense Monsenhor Walfredo Gurgel. Sua identificação com os governos militares no período pós 64 foi flagrante, chegando a ser Senador biônico em 1978.

Em 1984 morreu em Brasília. Seu corpo foi transladado para Caicó, onde está sepultado. Da sua trajetória política, o seu maior legado foi o apoio à educação.

No ano de 2002 os poderes públicos ergueram uma estátua do senador Dinarte Mariz em um dos canteiros da praça.  Não obstante à consideração pela contribuição política de Dinarte Mariz à população de Caicó, continua a ser chamada na memória do povo de Praça da Liberdade.    

Estátua de Dinarte Mariz na Praça da Liberdade

Imagem: Muirakytan K. de Macêdo

 Localização: Avenida Seridó, próxima à Matriz de Sant’Ana

   Voltar ao sumário

Mapa do roteiro

Mercado Público